2.9. Sistema

Este grupo de módulos foi desenvolvido para ajudá-lo a gerenciar o sistema. Todos os módulos neste grupo são relacionados ao sistema e funcionam como ferramentas valiosas para assegurar que o seu sistema seja executado corretamente e que seus dados sejam gerenciados com eficiência.

2.9.1. Backup

Crie um backup do sistema e dos dados usando Backup do Sistema. Porém, o backup criado pelo módulo não inclui todo o sistema. O backup de sistema é realizado com a gravação de áreas importantes de armazenamento do seu disco rígido, o que pode ser crucial quando for necessário restaurar um sistema, como a tabela de partição ou o registro mestre de inicialização (MBR). Ele também pode incluir a configuração XML adquirida da instalação do sistema que é usada para o AutoYaST. O backup dos dados é realizado com a gravação de arquivos mudados dos pacotes acessíveis em mídias de instalação, pacotes inteiros que estão inacessíveis (como atualizações online) e também arquivos que não pertencem a pacotes, como muitos dos arquivos de configuração em /etc ou os diretórios sob /home.

2.9.2. Restauração

Com Restauração do Sistema, restaure o sistema de um arquivo de backup criado com Backup do Sistema. Primeiro, especifique onde os arquivos estão localizados (mídias removíveis, discos rígidos locais ou sistemas de arquivo de rede). Clique em Próximo para exibir a descrição e o conteúdo de arquivos individuais e selecione o que restaurar dos arquivos.

Você também pode desinstalar pacotes que foram adicionados desde o último backup e reinstalar pacotes que foram apagados desde o último backup. Essas duas etapas possibilitam que você restaure o estado exato do sistema no momento do último backup.

[Warning]Restauração do sistema

Como este módulo normalmente instala, substitui ou desinstala vários pacotes e arquivos, utilize-o somente se tiver experiência com backups. Caso contrário, poderá perder dados.

2.9.3. Discos de boot e de recuperação

Crie discos de boot e recuperação com Disquete de Boot ou de Recuperação. Esses disquetes são úteis se a configuração de inicialização do sistema for danificada. O disco de recuperação será especialmente necessário se o sistema de arquivo da partição raiz for danificado.

As seguintes opções estão disponíveis:

Disquete de Boot Padrão

Use esta opção para criar os disquetes de inicialização padrão que serão usados na inicialização de um sistema instalado. Dependendo da arquitetura, o número real de discos de inicialização pode variar, mas você deve criar todos os discos apresentados na caixa de diálogo porque todos eles serão necessários para a inicialização. Eles também são necessários para iniciar o sistema de recuperação.

Disquete de Recuperação

Este disco contém um ambiente especial que permite que você realize tarefas de manutenção no sistema instalado, como verificação e reparo de sistema de arquivos e atualização do carregador de boot. Para iniciar o sistema de recuperação, faça a inicialização com os disquetes de inicialização padrão e, em seguida, selecione Instalação Manual+Iniciar Instalação ou Sistema+Sistema de Resgate. Insira o disco de recuperação quando for solicitado.

Disquete Customizado

Use esta opção para gravar qualquer imagem existente de disquete do disco rígido no disquete.

Download de Imagem de Disquete

Com esta opção, digite um URL e dados de autenticação para fazer o download de uma imagem de disquete da Internet.

Para criar um desses disquetes, selecione a opção correspondente e clique em Próximo. Insira um disquete quando for solicitado. Clique em Próximo novamente para criar o disquete.

2.9.4. LVM

O LVM (logical volume manager) é uma ferramenta para personalizar o particionamento de discos rígidos com unidades lógicas. Encontre informações sobre o LVM na Seção 2.1, “Configuração da LVM” (↑Referência).

2.9.5. Particionador

Modifique manualmente o particionamento de um ou de vários discos rígidos com a caixa de diálogo de especialista, mostrada na Figura 2.4, “Particionador do YaST”. As partições podem ser adicionadas, apagadas, redimensionadas e editadas. Acesse também a configuração do LVM e do RAID por software a partir deste módulo do YaST.

[Warning]Atenção

Embora seja possível modificar as partições no sistema instalado, esta ação deve ser realizada somente por especialistas. Caso contrário, o risco de cometer um erro que cause a perda de dados é muito alto. Se você fizer o reparticionamento de um disco rígido em uso, reinicialize o sistema logo em seguida. É mais seguro usar o sistema de resgate do que reparticionar o sistema durante a execução.

Figura 2.4. Particionador do YaST

Particionador do YaST

Todas as partições existentes ou sugeridas em todos os discos rígidos conectados são exibidas na lista da caixa de diálogo Particionador Expert do YaST. Discos rígidos inteiros são listados como dispositivos sem números, como /dev/hda ou /dev/sda. As partições são listadas como partes desses dispositivos, como /dev/hda1 ou /dev/sda1. Tamanho, tipo, sistema de arquivos e ponto de montagem dos discos rígidos e suas partições também são exibidos. O ponto de montagem descreve onde a partição aparece na árvore do sistema de arquivos do Linux.

Se a caixa de diálogo de especialista for executada durante a instalação, os espaços livres no disco rígido também serão listados e selecionados automaticamente. Para fornecer mais espaço em disco para o SUSE Linux, libere o espaço necessário começando do fim para o início da lista (começando da última partição de um disco rígido em direção à primeira). Por exemplo, se você tiver três partições, não poderá usar a segunda exclusivamente para o SUSE Linux e manter a terceira e a primeira para outros sistemas operacionais.

2.9.5.1. Criando uma partição

Selecione Criar. Se vários discos rígidos estiverem conectados, uma caixa de diálogo de seleção será exibida. Nela, selecione um disco rígido para a nova partição. Em seguida, especifique o tipo de partição (primária ou estendida). Crie até quatro partições primárias ou até três partições primárias e uma estendida. Dentro da partição estendida, crie várias partições lógicas (consulte Seção 1.7.1.1, “Tipos de partição”).

Selecione o sistema de arquivos a ser usado e um ponto de montagem, se necessário. O YaST sugere um ponto de montagem para cada partição criada. Detalhes sobre os parâmetros são fornecidos na próxima seção. Selecione OK para aplicar as mudanças. A nova partição será então listada na tabela de partição. Se você clicar em Próximo, os valores atuais serão adotados. Durante a instalação, você volta para a tela de sugestão.

2.9.5.2. Parâmetros de particionamento

Se você criar uma nova partição ou modificar uma partição existente, defina vários parâmetros. Para as novas partições, parâmetros adequados são definidos pelo YaST e normalmente não necessitam de modificações. Para realizar configurações manuais, proceda da seguinte maneira:

  1. Selecione a partição.

  2. Clique em Editar para editar a partição e definir os parâmetros:

    ID de Sistema de Arquivos

    Mesmo que você não queira formatar a partição neste momento, atribua-lhe um ID de sistema de arquivos para assegurar que a partição será registrada corretamente. Os valores possíveis incluem Linux, Linux swap, Linux LVM e Linux RAID. Para obter detalhes sobre LVM e RAID, consulte a Seção 2.1, “Configuração da LVM” (↑Referência) e a Seção 2.2, “Configuração de RAID de software” (↑Referência).

    Sistema de arquivos

    Para formatar a partição imediatamente dentro do escopo de instalação, especifique um dos seguintes sistemas de arquivos para a partição: Swap, Ext2, Ext3, ReiserFS ou JFS. Consulte o Capítulo 13, Sistemas de arquivos no Linux (↑Referência) para obter detalhes sobre os vários sistemas de arquivos.

    Swap é um formato especial que permite que a partição seja usada como memória virtual. ReiserFS é o sistema de arquivos padrão para as partições Linux. ReiserFS, JFS e Ext3 são sistemas de arquivos com registro em diário. Esses sistemas de arquivos podem restaurar o sistema rapidamente após uma falha do sistema porque os processos de gravação são conectados durante a operação. Além disso, o ReiserFS é muito rápido no tratamento de muitos arquivos pequenos. Ext2 não é um sistema de arquivos com registro em diário. Porém, ele é muito sólido e adequado para partições menores porque não exige muito espaço em disco para gerenciamento.

    Opções de Sistema de Arquivos

    Defina aqui vários parâmetros para o sistema de arquivos selecionado. Dependendo do sistema de arquivos usado, várias opção são oferecidas aos especialistas.

    Sistema de Arquivo Criptografado

    Se a criptografia for ativada, todos os dados são gravados no disco rígido de forma criptografada, o que aumenta a segurança de dados sensíveis, mas reduz um pouco a velocidade do sistema, porque a criptografia demora um pouco. Mais informações sobre a criptografia de sistemas de arquivos são fornecidas na Seção 4.3, “Criptografando partições e arquivos” (↑Referência).

    Opções de Fstab

    Especifique aqui vários parâmetros para o arquivo de administração dos sistemas de arquivos (/etc/fstab).

    Ponto de Montagem

    Especifica o diretório no qual a partição deve ser montada na árvore do sistema de arquivos. Selecione uma das várias propostas do YaST ou especifique qualquer outro nome.

  3. Selecione Próximo para ativar a partição.

Se particionar manualmente, crie uma partição de troca de pelo menos 256 MB. A partição de troca é usada para liberar a memória principal dos dados que não estão em uso no momento. Isso mantém a memória principal livre para dados importantes usados com mais freqüência.

2.9.5.3. Opções de Especialista

Especialista abre um menu contendo os seguintes comandos:

Reler Tabela de Partições

Relê o particionamento do disco. Por exemplo, essa opção é necessária após o particionamento manual no console de texto.

Apagar Tabela de Partições e Rótulo do Disco

Esta opção sobregrava completamente a tabela de partição antiga. Ela pode ser útil, por exemplo, se você tiver problemas com rótulos de discos não convencionais. Ao usar este método, você perde todos os dados no disco rígido.

2.9.5.4. Mais dicas sobre particionamento

Se o particionamento for realizado pelo YaST e outras partições forem detectadas no sistema, elas também serão inseridas no arquivo /etc/fstab para possibilitar acesso fácil a esses dados. Esse arquivo contém todas as partições do sistema com suas propriedades, como sistema de arquivos, ponto de montagem e permissões de usuário.

Exemplo 2.1. /etc/fstab: Dados de partições

/dev/sda1    /data1    auto      noauto,user 0 0
/dev/sda5    /data2    auto      noauto,user 0 0 
/dev/sda6    /data3    auto      noauto,user 0 0
   

Independentemente de serem Linux ou FAT, as partições são especificadas com as opções noauto e user. Isso possibilita que qualquer usuário monte ou desmonte essas partições, de acordo com a necessidade. Por motivos de segurança, o YaST não insere automaticamente a opção exec aqui, o que é necessário para a execução de programas localmente. Porém, para executar programas no local, é possível digitar essa opção manualmente. Esta medida será necessária se forem obtidas mensagens do sistema como interpretador inválido ou permissão negada.

2.9.5.5. Particionamento e LVM

Do particionador expert, acesse a configuração do LVM com LVM (consulte a Seção 2.1, “Configuração da LVM” (↑Referência)). Porém, se já houver uma configuração do LVM em funcionamento no sistema, ela será ativada automaticamente assim que você inserir a configuração do LVM pela primeira vez em uma sessão. Neste caso, quaisquer discos contendo uma partição que pertença a um grupo de volume ativado não poderão ser reparticionados porque o kernel do Linux não poderá reler a tabela de partição modificada de um disco rígido quando qualquer partição no disco estiver em uso. Porém, se você já tiver uma configuração LVM em funcionamento no sistema, o reparticionamento físico não será necessário. Em vez disso, mude a configuração dos volumes lógicos.

No início dos volumes físicos (PVs), as informações sobre o volume são gravadas na partição. Para reutilizar tal partição para outros propósitos não relacionados ao LVM, é aconselhável apagar o início deste volume. Por exemplo, no VG system e no PV /dev/sda2, faça isso com o comando dd if=/dev/zero of=/dev/sda2 bs=512 count=1.

[Warning]Sistema de arquivos para inicialização

O sistema de arquivos usado para inicialização (sistema de arquivos raiz ou /boot) não deve ser armazenado em um volume lógico do LVM. Em vez disso, armazene-o em uma partição física normal.

2.9.6. Configuração do Powertweak

O Powertweak é um utilitário do SUSE Linux de ajuste do sistema para aumentar o desempenho ajustando algumas configurações de kernel e hardware. Ele deve ser usado somente por usuários avançados. Após iniciar com o Powertweak, ele detecta as configurações de sistema e as lista em forma de árvore no quadro esquerdo do módulo. Também é possível usar Pesquisar para encontrar uma variável de configuração. Selecione a opção para ajustar a sua exibição na tela junto com o diretório e as configurações. Para gravar as configurações, clique em Concluir e confirme clicando em OK.

2.9.7. Gerenciador de Perfis

Crie, gerencie e alterne entre configurações de sistema com o Gerenciamento de Perfil, o módulo de gerenciamento de perfil de configuração de sistema do YaST. Este módulo é especialmente útil para computadores móveis que são usados em lugares diferentes (em redes diferentes) e por usuários diferentes. Contudo, este recurso é útil até mesmo para máquinas fixas porque possibilita o uso de vários componentes de hardware ou configurações de teste. Para obter mais informações sobre noções básicas e manipulação do SCPM, consulte o Capítulo 32, System Configuration Profile Management (↑Referência).

2.9.8. Serviços do Sistema (Runlevel)

Configure níveis de execução e os serviços que iniciam neles com Serviços do Sistema (Nível de Execução). Para obter mais informações sobre os níveis de execução no SUSE Linux e uma descrição do editor de nível de execução do YaST, consulte a Seção 8.2.3, “Configurando serviços do sistema (runlevel) com o YaST” (↑Referência).

2.9.9. Editor do /etc/sysconfig

O diretório /etc/sysconfig contém os arquivos com as configurações mais importantes do SUSE Linux. Use o Editor do /etc/sysconfig para modificar os valores e gravá-los nos arquivos de configuração individuais. Normalmente, a edição manual não é necessária porque os arquivos são adaptados automaticamente quando um pacote é instalado ou um serviço é configurado. Mais informações sobre o /etc/sysconfig e o editor do sysconfig do YaST estão disponíveis na Seção 8.3.1, “Mudando a configuração do sistema usando o Editor sysconfig do YaST” (↑Referência).

2.9.10. Seleção de Fuso Horário

O fuso horário é geralmente definido durante a instalação, mas você pode mudá-lo com Data e Hora. Também use isso para mudar a data e a hora do sistema atual.

Para mudar o fuso horário, selecione a região na coluna esquerda e o local ou fuso horário na coluna direita. Com Relógio de Hardware Definido como, defina se o relógio do sistema deve usar Horário Local ou UTC (Coordinated Universal Time). O UTC é geralmente usado nos sistemas Linux, enquanto as máquinas com sistemas operacionais adicionais, como o Microsoft Windows, normalmente utilizam o horário local.

Defina a data e a hora do sistema atual com Mudar. Na caixa de diálogo aberta, modifique a data e a hora digitando novos valores ou ajustando-os com os botões de seta. Pressione Aplicar para gravar as mudanças.

2.9.11. Idioma

Os idiomas primário e secundário para o sistema Linux são definidos durante a instalação. Porém, eles podem ser mudados a qualquer momento usando Idioma. O idioma principal definido no YaST se aplica a todo o sistema, incluindo o YaST e o ambiente de área de trabalho. Este é o idioma que você espera usar a maior parte do tempo. Idiomas secundários são idiomas que às vezes são necessários para usuários para uma variedade de objetivos, como idioma da área de trabalho ou processamento de texto.

Figura 2.5. Configurando o idioma

Configurando o idioma

Selecione o idioma primário a ser usado para o sistema em Idioma Primário. Para ajustar o teclado ou fuso horário, habilite Adaptar Mapa de Teclado ou Adaptar Fuso Horário.

Defina como as variáveis locais são definidas para o usuário root com Detalhes. Também use Detalhes para definir o idioma primário para um dialeto não disponível na lista principal. Essas configurações são gravadas no arquivo /etc/sysconfig/language.