14.3. Instalando e configurando fontes

A instalação de fontes adicionais no SUSE Linux é muito fácil. Simplesmente copie as fontes para qualquer diretório localizado no caminho da fonte X11 (consulte a Seção 14.3.1, “Fontes centrais X11”). Para habilitar o uso das fontes, o diretório de instalação deve ser um subdiretório dos diretórios configurados em /etc/fonts/fonts.conf (consulte a Seção 14.3.2, “Xft”).

Os arquivos de fontes podem ser copiados manualmente (como root) para um diretório adequado, como /usr/X11R6/lib/X11/fonts/truetype. Alternativamente, a tarefa pode ser realizada com o instalador de fontes do KDE no Centro de Controle do KDE. O resultado é o mesmo.

Em vez de copiar as fontes reais, você também pode criar links simbólicos. Por exemplo, é recomendável fazer isso se você tem fontes licenciadas em uma partição do Windows montada e deseja usá-las. Em seguida, execute SuSEconfig --module fonts.

SuSEconfig --module fonts executa o script /usr/sbin/fonts-config, que lida com a configuração das fontes. Para ver o que o script faz, consulte a página de manual do script (man fonts-config).

O procedimento é o mesmo para fontes de bitmap, fontes TrueType e OpenType e fontes Type1 (PostScript). Todos esses tipos de fonte podem ser instalados em qualquer diretório. Somente fontes indexadas ao CID exigem um procedimento um pouco diferente. Para isso, consulte a Seção 14.3.3, “Fontes indexadas do CID”.

X.Org contém dois sistemas de fontes completamente diferentes: O sistema de fontes central X11 antigo e o sistema Xft and fontconfig recém-criado. As seções a seguir descrevem brevemente esses dois sistemas.

14.3.1. Fontes centrais X11

Atualmente, o sistema de fontes centrais X11 suporta não somente fontes de bitmap, mas também fontes escaláveis, como fontes Type1, TrueType e OpenType e fontes indexadas do CID. Fontes escaláveis são suportadas somente sem a exibição de subpixel e antialiasing e o carregamento de fontes escaláveis grandes para vários idiomas pode levar muito tempo. As fontes Unicode também são suportadas, mas seu uso pode ser lento e requerer mais memória.

O sistema de fontes centrais X11 tem algumas fraquezas inerentes. Ele está desatualizado e não pode mais ser estendido de forma significativa. Embora ele possa ser mantido por motivos de compatibilidade retroativa, o sistema Xft e fontconfig mais moderno deve ser usado se for possível.

Para essa operação, o servidor X precisa saber quais fontes estão disponíveis e onde no sistema ele pode encontrá-las. Isso é tratado por uma variável FontPath, que contém o caminho para todos os diretórios de fontes de sistemas válidos. Em cada um desses diretórios, um arquivo chamado fonts.dir lista as fontes disponíveis neste diretório. O FontPath é gerado pelo servidor X na inicialização. Ele procura um arquivo fonts.dir válido em cada uma das entradas FontPath no arquivo de configuração /etc/X11/xorg.conf. Essas entradas são encontradas na seção Files. Exiba o FontPath real com xset q. Esse caminho também pode ser modificado no tempo de execução com xset. Para adicionar outro caminho, use xset +fp <path>. Para remover um caminho indesejado, use xset -fp <path>.

Se o servidor X já estiver ativo, fontes recém-instaladas em diretórios montados podem ficar disponíveis com o comando xset fp rehash. Este comando é executado por SuSEconfig --module fonts. Como o comando xset precisa de acesso ao servidor X em execução, isso funciona somente se SuSEconfig --module fonts for iniciado em um shell com acesso ao servidor X em execução. A maneira mais fácil de conseguir isso é assumir permissões de root digitando su e a senha de root. su transfere as permissões de acesso do usuário que iniciou o servidor X para o shell do root. Para verificar se as fontes foram instaladas corretamente e estão disponíveis através do sistema de fontes centrais X11, use o comando xlsfonts para listar todas as fontes disponíveis.

Por padrão, o SUSE Linux usa locales UTF-8. Desta forma, fontes Unicode devem ser preferidas (nomes de fontes terminando com iso10646-1 na saída xlsfonts). Todas as fontes Unicode disponíveis podem ser relacionadas com xlsfonts | grep iso10646-1. Praticamente todas as fontes Unicode disponíveis no SUSE Linux contêm pelo menos os glifos necessários para idiomas europeus (anteriormente codificado como iso-8859-*).

14.3.2. Xft

Desde o início, os programadores do Xft certificaram-se de que as fontes escaláveis, incluindo as de antialiasing, tivessem suporte adequado. Se o Xft for usado, as fontes serão exibidas pelo aplicativo usando as fontes, não pelo servidor X como no sistema de fontes central X11. Desta forma, o respectivo aplicativo tem acesso aos arquivos de fontes reais e controle total sobre como os glifos são exibidos. Isso constitui a base para a exibição correta do texto em vários idiomas. Acesso direto aos arquivos de fontes é bastante útil para embutir fontes para impressão para certificar-se de que a impressão tem a mesma aparência da saída da tela.

No SUSE Linux, os dois ambientes de área de trabalho do KDE e do GNOME, Mozilla, e vários outros aplicativos já usam o Xft por padrão. O Xft já é usado por mais aplicativos do que o sistema de fontes central X11 antigo.

O Xft usa a biblioteca fontconfig para localizar fontes e influenciar como elas são exibidas. As propriedades de fontconfig são controladas pelo arquivo de configuração global /etc/fonts/fonts.conf e o arquivo de configuração específico ao usuário ~/.fonts.conf. Cada um destes arquivos de configuração fontconfig deve iniciar com


<?xml version="1.0"?>
<!DOCTYPE fontconfig SYSTEM "fonts.dtd">
<fontconfig>

e terminar com

</fontconfig>

Para adicionar diretórios para pesquisar fontes, acrescente linhas como as seguintes:

<dir>/usr/local/share/fonts/</dir>

Porém, isso geralmente não é necessário. Por padrão, o diretório específico ao usuário ~/.fonts já está inserido em /etc/fonts/fonts.conf. Da mesma maneira, tudo o que você precisa fazer para instalar fontes adicionais é copiá-las para ~/.fonts.

Você também pode inserir regras que influenciam a aparência das fontes. Por exemplo, digite


<match target="font">
 <edit name="antialias" mode="assign">
  <bool>false</bool>
 </edit>
</match>

Para desabilitar o antialiasing para todas as fontes ou


<match target="font">
 <test name="family">
  <string>Luxi Mono</string>
  <string>Luxi Sans</string>
 </test>
 <edit name="antialias" mode="assign">
 <bool>false</bool>
 </edit>
</match>

para desabilitar o antialiasing para fontes específicas.

Por padrão, a maioria dos aplicativos usa os nomes de fontes sans-serif (ou o equivalente sans), serif ou monospace. Estas não são fontes reais, mas somente aliás que são resolvidos para uma fonte adequada, dependendo da configuração de idioma.

Usuários podem facilmente adicionar regras para ~/.fonts.conf a fim de resolver esses alias para suas fontes favoritas:


<alias>
 <family>sans-serif</family>
 <prefer>
  <family>FreeSans</family>
 </prefer>
</alias>
<alias>
 <family>serif</family>
 <prefer>
  <family>FreeSerif</family>
 </prefer>
</alias>
<alias>
 <family>monospace</family>
 <prefer>
  <family>FreeMono</family>
 </prefer>
</alias>

Como quase todos os aplicativos usam esses alias por padrão, isso afeta praticamente todo o sistema. Desta forma, você pode facilmente usar suas fontes favoritas praticamente em qualquer local sem precisar modificar as configurações de fontes nos aplicativos individuais.

Use o comando fc-list para encontrar as fontes instaladas e disponíveis para uso. Por exemplo, o comando fc-list retorna uma lista de todas as fontes. Para descobrir quais das fontes escaláveis disponíveis (:scalable=true) contêm todos os glifos exigidos para hebraico (:lang=he), os nomes de fontes (family), o estilo (style), o peso (weight) e o nome dos arquivos que contêm as fontes, digite o seguinte comando:

fc-list ":lang=he:scalable=true" family style weight

A saída do comando pode ter a seguinte aparência:

    

FreeSansBold.ttf: FreeSans:style=Bold:weight=200
FreeMonoBoldOblique.ttf: FreeMono:style=BoldOblique:weight=200
FreeSerif.ttf: FreeSerif:style=Medium:weight=80
FreeSerifBoldItalic.ttf: FreeSerif:style=BoldItalic:weight=200
FreeSansOblique.ttf: FreeSans:style=Oblique:weight=80
FreeSerifItalic.ttf: FreeSerif:style=Italic:weight=80
FreeMonoOblique.ttf: FreeMono:style=Oblique:weight=80
FreeMono.ttf: FreeMono:style=Medium:weight=80
FreeSans.ttf: FreeSans:style=Medium:weight=80
FreeSerifBold.ttf: FreeSerif:style=Bold:weight=200
FreeSansBoldOblique.ttf: FreeSans:style=BoldOblique:weight=200
FreeMonoBold.ttf: FreeMono:style=Bold:weight=200

Parâmetros importantes podem ser consultados com fc-list:

Tabela 14.2. Parâmetros de fc-list

Parâmetro

Significado e valores possíveis

family

Nome da família da fonte, por exemplo, FreeSans.

foundry

Nome do fabricante da fonte, por exemplo, urw.

style

O estilo da fonte, como Medium, Regular, Bold, Italic ou Heavy.

lang

O idioma que a fonte suporta, por exemplo, de para alemão, ja para japonês, zh-TW para chinês tradicional ou zh-CN para chinês simplificado.

weight

O peso da fonte, como 80 para normal ou 200 para negrito.

slant

A inclinação, geralmente 0 para nenhum e 100 para itálico.

file

O nome do arquivo contendo a fonte.

outline

true para fontes de bordas ou false para outras fontes.

scalable

true para fontes escaláveis ou false para outras fontes.

bitmap

true para fontes de bitmap ou false para outras fontes.

pixelsize

Tamanho de fonte em pixels. Em conexão com a fc-list, esta opção só faz sentido para fontes de bitmap.

14.3.3. Fontes indexadas do CID

Em contraste com outros tipos de fontes, você não pode simplesmente instalar fontes indexadas do CID em somente qualquer diretório. Fontes indexadas do CID devem ser instaladas em /usr/share/ghostscript/Resource/CIDFont. Isso não é relevante para Xft e fontconfig, mas é necessário para Ghostscript e o sistema de fontes centrais X11.

[Tip]Dica

Consulte http://www.xfree86.org/current/fonts.html para obter mais informações sobre fontes sob X11.