11.4. Configuração da impressora

Após conectar a impressora ao computador e instalar o software, instale a impressora no sistema. Faça isso usando as ferramentas que acompanham o SUSE Linux. Como o SUSE Linux enfatiza a segurança, ferramentas de terceiros não funcionarão bem com as restrições de segurança e causarão mais problemas que benefícios. Consulte a Seção 11.6.1, “Servidor e firewall do CUPS” e a Seção 11.6.2, “Mudanças no serviço de impressão do CUPS” para obter mais informações sobre como solucionar problemas.

11.4.1. Impressoras locais

Se for detectada uma impressora local não configurada quando você efetuar login, o YaST será iniciado para configurá-la. Serão usadas as mesmas caixas de diálogo mostradas abaixo para a descrição da configuração.

Para configurar a impressora, selecione Hardware+Impressora no centro de controle do YaST. Isso abrirá a janela de configuração principal da impressora, onde os dispositivos detectados são listados na parte superior. A parte inferior relaciona as listas configuradas até então. Se sua impressora não foi detectada, configure-a manualmente.

[Important]Importante

Se a entrada Impressora não estiver disponível no centro de controle do YaST, provavelmente o pacote yast2-printer não está instalado. Para solucionar esse problema, instale o pacote yast2-printer e reinicie o YaST.

11.4.1.1. Configuração automática

O YaST poderá configurar a impressora automaticamente se for possível configurar automaticamente a porta paralela ou USB e se a impressora conectada puder ser detectada. O banco de dados da impressora também deve conter a string do ID da impressora que o YaST recupera durante a detecção automática do hardware. Se o ID do hardware for diferente do da designação do modelo, selecione o modelo manualmente.

Para assegurar que tudo funcione adequadamente, cada configuração deve ser verificada com a função de teste de impressão do YaST. A página de teste também fornece informações importantes sobre a configuração testada.

11.4.1.2. Configuração manual

Se os requisitos da configuração automática não forem atendidos, ou se você quiser fazer uma configuração personalizada, configure a impressora manualmente. Dependendo do sucesso da detecção automática e da quantidade de informações sobre o modelo de impressora encontradas no banco de dados, o YaST poderá determinar as configurações corretas automaticamente ou, pelo menos, fazer uma pré-seleção razoável.

Os seguintes parâmetros devem ser configurados:

Conexão de Hardware (Porta)

A configuração da conexão de hardware dependerá da habilidade do YaST em encontrar a impressora durante a detecção automática de hardware. Se o YaST conseguir detectar o modelo de impressora automaticamente, poderemos deduzir que a conexão da impressora está funcionando no nível de hardware, não sendo necessário modificar qualquer configuração a esse respeito. Se o YaST não conseguir detectar automaticamente o modelo de impressora, poderá haver algum problema na conexão no nível do hardware. Nesse caso, será necessária alguma intervenção manual para configurar a conexão.

Na caixa de diálogo Configuração da Impressora, pressione Adicionar para iniciar o fluxo de trabalho de configuração manual. Selecione o Tipo de Impressora (por exemplo, Impressora USB) e, clicando em Próximo, digite a Conexão de Impressora e selecione o dispositivo.

Nome da Fila

O nome da fila é usado quando emitimos comandos de impressão. O nome deve ser relativamente curto e composto apenas por letras minúsculas e números. Digite o Nome para impressão na próxima caixa de diálogo (Nome da fila).

Modelo de Impressora e Arquivo PPD

Todos os parâmetros específicos da impressora, como o driver Ghostscript a ser usado e os parâmetros do filtro de impressão, são armazenados em um arquivo PPD (PostDescription Printer Description). Consulte a Seção 11.3, “Instalação do software” para obter mais informações sobre arquivos PPD.

Para muitos modelos de impressora, haverá vários arquivos PPD disponíveis se, por exemplo, vários drivers Ghostscript funcionarem com o modelo em questão. Quando você selecionar um fabricante e um modelo na próxima caixa de diálogo (Modelo de impressora), o YaST selecionará o arquivo PPD que corresponde à impressora. Se houver vários arquivos PPD disponíveis para o modelo, o YaST assumirá um deles como padrão (normalmente aquele marcado como recomendado). É possível modificar o arquivo PPD escolhido na próxima caixa de diálogo usando Editar.

Para modelos não-PostScript, todos os dados específicos da impressora são produzidos pelo driver Ghostscript. Por esse motivo, a configuração do driver é o fator mais importante a determinar a qualidade da impressão. A impressão é afetada pelo tipo de driver Ghostscript (arquivo PPD) selecionado e pelas opções especificadas para ele. Se necessário, mude as opções adicionais (conforme disponibilizadas pelo arquivo PPD) depois de selecionar Editar.

Figura 11.1. Seleção do modelo de impressora

Seleção do modelo de impressora

Sempre verifique se suas configurações estão funcionando como esperado. Para isso, imprima a página de teste. Se a impressão sair com erros (por exemplo, com várias páginas praticamente vazias), pare a impressão removendo todo o papel e, em seguida, interrompendo o teste no YaST.

Se o banco de dados da impressora não incluir uma entrada para o modelo, será possível adicionar um novo arquivo PPD selecionando Adicionando Arquivo PPD ao Banco de Dados ou usando um grupo de arquivos PPD genéricos para forçar a impressora a usar uma das linguagens de impressão padrão. Para isso, selecione FABRICANTE DESCONHECIDO como fabricante da impressora.

Configurações Avançadas

Normalmente, não é necessário alterar essas configurações.

11.4.2. Impressoras de rede

Uma impressora de rede pode suportar vários protocolos, alguns deles simultaneamente. Embora a maioria dos protocolos suportados sejam padronizados, alguns fabricantes expandem (modificam) o padrão porque eles testam sistemas que não implementaram o padrão corretamente ou porque querem fornecer certas funções que não estão disponíveis no padrão. Os fabricantes fornecem drivers apenas para alguns sistemas operacionais, eliminando dificuldades relativas a eles. Infelizmente, raros são os drivers para Linux. Na situação atual, não é possível agir como se todos os protocolos funcionassem perfeitamente no Linux. Portanto, talvez seja necessário testar várias opções para obter uma configuração funcional.

O CUPS suporta os protocolos soquete, LPD, IPP e smb. Veja abaixo alguns detalhes sobre esses protocolos:

soquete

Soquete se refere a uma conexão na qual os dados são enviados a um soquete de Internet sem precedência de handshake de dados. Alguns dos números de portas de soquete normalmente usados são 9100 ou 35. Um exemplo de URI de dispositivo é socket://host-printer:9100/.

LPD (daemon de impressora de linha)

O protocolo LPD comprovado é descrito em RFC 1179. Nesse protocolo, alguns dados relativos à tarefa, como ID da fila de impressão, são enviados antes dos dados de impressão propriamente ditos. Portanto, deve ser especificada uma fila de impressão durante a configuração do protocolo LPD para a transmissão de dados. As implementações de fabricantes de impressoras diferentes são flexíveis o suficiente para aceitar qualquer nome como fila de impressão. Se necessário, o manual da impressora indicará o nome a ser usado. LPT, LPT1, LP1 ou semelhantes são os nomes normalmente usados. Também é possível configurar uma fila LPD em um host Linux ou Unix diferente no sistema CUPS. O número de porta para o serviço LPD é 515. Um exemplo de URI de dispositivo é lpd://host-printer/LPT1.

IPP (protocolo de impressão de Internet)

O IPP é um protocolo relativamente novo (1999) baseado no protocolo HTTP. Com o IPP, mais dados referentes à tarefa são transmitidos. O CUPS usa o IPP em transmissões internas de dados. É o protocolo escolhido para a fila de encaminhamento entre dois servidores CUPS. É necessário indicar o nome da fila de impressão para que o IPP seja configurado corretamente. A porta padrão do IPP é 631. Exemplos de URIs de dispositivo são ipp://host-printer/ps e ipp://host-cupsserver/printers/ps.

SMB (compartilhamento Windows)

O CUPS também suporta a impressão em impressoras conectadas a compartilhamentos Windows. O protocolo usado para essa finalidade é o SMB. O SMB usa os números de porta 137, 138 e 139. Exemplos de URIs de dispositivos são smb://user:password@workgroup/server/printer, smb://user:password@host/printer e smb://server/printer.

O protocolo suportado pela impressora deve ser determinado antes da configuração. Se o fabricante não fornecer as informações necessárias, o comando nmap, que vem com o pacote nmap, poderá ser usado para descobrir o protocolo. nmap verificar as portas abertas do host. Por exemplo:

nmap -p 35,137-139,515,631,9100-10000 printerIP

11.4.2.1. Configuração do CUPS na rede com YaST

As impressoras de rede devem ser configuradas com o YaST. O YaST facilita a configuração e é mais bem equipado para lidar com restrições de segurança no CUPS (consulte a Seção 11.6.2, “Mudanças no serviço de impressão do CUPS”). Para obter orientações sobre a instalação do CUPS na rede, leia o artigo CUPS in a Nutshell no Banco de Dados de Suporte, em http://portal.suse.com.

Inicie a configuração da impressora e clique em Adicionar. Se não houver orientação contrária do administrador de rede, tente a opção Imprimir Diretamente em Impressora de Rede e prossiga de acordo com os requisitos locais.

11.4.2.2. Configuração com ferramentas da linha de comando

O CUPS também pode ser configurado com ferramentas de linha de comando como lpadmin e lpoptions. Você precisará de um URI de dispositivo consistente em um back end, como usb, e parâmetros como /dev/usb/lp0. Por exemplo, o URI completo poderia ser parallel:/dev/lp0 (impressora conectada à primeira porta paralela) ou usb:/dev/usb/lp0 (primeira impressora conectada à porta USB).

Com lpadmin, o administrador do servidor CUPS pode adicionar, remover ou gerenciar filas de classe e de impressão. Para adicionar uma fila de impressão, use a seguinte sintaxe:

lpadmin -p queue -v device-URI \
-P PPD-file -E

O dispositivo (-v) estará disponível como fila (-p), usando o arquivo PPD especificado (-P). Isso significa que você deve conhecer o arquivo PPD e o nome do dispositivo se quiser configurar a impressora manualmente.

Não use -E como primeira opção. Em todos os comandos CUPS, -E como primeiro argumento define o uso de uma conexão criptografada. Para habilitar a impressora, -E deve ser usado como mostrado no seguinte exemplo:

lpadmin -p ps -v parallel:/dev/lp0 -P \
/usr/share/cups/model/Postscript.ppd.gz -E
    

O seguinte exemplo configura uma impressora de rede:

lpadmin -p ps -v socket://192.168.1.0:9100/ -P \
/usr/share/cups/model/Postscript-level1.ppd.gz -E
   

Para obter mais opções de lpadmin, consulte a página de manual lpadmin(1).

Durante a configuração da impressora, algumas opções são definidas como padrão. Essas opções podem ser modificadas para cada tarefa de impressão (dependendo da ferramenta de impressão utilizada). Também é possível modificar essas opções padrão com o YaST. Usando ferramentas de linha de comando, defina opções padrão da seguinte forma:

  1. Primeiro, liste todas as opções:

    lpoptions -p queue -l

    Exemplo:

     
    Resolução/Resolução de Saída: 150dpi *300dpi 600dpi

    A opção padrão ativada fica evidente com o asterisco precedente (*).

  2. Mude a opção com lpadmin:

    lpadmin -p queue -o Resolution=600dpi
  3. Verifique a nova configuração:

     
    lpoptions -p queue -l
    
    Resolução/Resolução de Saída: 150dpi 300dpi *600dpi

As configurações são gravadas em ~/.lpoptions quando um usuário normal executa lpoptions. As configurações de root são gravadas em /etc/cups/lpoptions.