Capítulo 19. Serviços SLP na rede

Sumário

19.1. Registrando seus próprios serviços
19.2. Front ends de SLP no SUSE Linux
19.3. Ativando o SLP
19.4. Mais informações

Resumo

O SLP foi criado para simplificar a configuração dos clientes em rede dentro de uma rede local. Para configurar um cliente em rede, inclusive todos os serviços necessários, o administrador normalmente precisa ter conhecimento detalhado dos servidores disponíveis na rede. O SLP divulga a disponibilidade de serviços selecionados a todos os clientes da rede local. Os aplicativos que dão suporte ao SLP podem usar as informações distribuídas e podem ser configurados automaticamente.

O SUSE Linux dá suporte à instalação com o uso de origens de instalação fornecidas via SLP e contém diversos serviços de sistema com suporte integrado para SLP. O YaST e o Konqueror possuem front ends apropriados para SLP. Você pode usar o SLP para oferecer funções centrais aos clientes em rede, como um servidor de instalação, servidor YOU, servidor de arquivos ou servidor de impressão no SUSE Linux.


19.1. Registrando seus próprios serviços

Muitos aplicativos contidos no SUSE Linux já possuem suporte integrado ao SLP com o uso da biblioteca libslp. Se um serviço não tiver sido compilado com o suporte ao SLP, use um dos métodos a seguir para disponibilizá-lo com SLP:

Registro estático com /etc/slp.reg.d

Crie um arquivo de registro separado para cada novo serviço. A seguir há um exemplo de arquivo para o registro de serviço de scanner:

      

## Register a saned service on this system
## en means english language
## 65535 disables the timeout, so the service registration does
## not need refreshes
service:scanner.sane://$HOSTNAME:6566,en,65535
watch-port-tcp=6566
description=SANE scanner daemon

A linha mais importante desse arquivo é a linha URL do serviço, que começa com service:. Essa linha contém o tipo de serviço (scanner.sane) e o endereço em que o serviço está disponível no servidor. $HOSTNAME é automaticamente substituída pelo nome completo do host. Em seguida, vem o nome da porta TCP em que o serviço em questão pode ser encontrado, separado por dois-pontos. A seguir, especifique o idioma em que o serviço deve ser exibido e a duração do registro em segundos. Esses dados devem ser separados do URL do serviço por vírgulas. Defina o valor da duração do registro entre 0 e 65535. O valor 0 impede o registro. O valor 65535 elimina todas as restrições.

O arquivo de registro também contém as duas variáveis watch-tcp-port e description. watch-tcp-port associa o anúncio do serviço SLP à atividade do serviço em questão fazendo com que o slpd verifique o status do serviço. A segunda variável contém uma descrição mais precisa do serviço que é exibido nos browsers apropriados.

Registro estático com /etc/slp.reg

A única diferença em relação ao procedimento com /etc/slp.reg.d é o agrupamento de todos os serviços em um arquivo central.

Registro dinâmico com slptool

Se um serviço tiver de ser registrado para o SLP a partir de scripts proprietários, use o front end de linha de comando slptool.