Capítulo 30. Computação móvel com o Linux

Sumário

30.1. Laptops
30.2. Hardware móvel
30.3. Telefones celulares e PDAs
30.4. Mais informações

Resumo

A computação móvel é geralmente associada a laptops, PDAs e telefones celulares, e ao intercâmbio de dados entre esses aparelhos. Componentes de hardware móveis, como discos rígidos externos, unidades flash ou câmeras digitais, podem ser conectados a laptops ou sistemas de desktop. Vários componentes de software estão envolvidos em cenários de computação e alguns aplicativos são desenvolvidos para uso móvel.


30.1. Laptops

O hardware de laptops difere do hardware de um sistema de desktop normal. Isso ocorre porque critérios como intercambiamento, espaço ocupado e consumo de energia são propriedades relevantes. Os fabricantes de hardware móvel desenvolveram o padrão PCMCIA (Personal Computer Memory Card International Association - Associação Internacional de Cartões de Memória para Computadores Pessoais). Esse padrão abrange cartões de memória, placas de interface de rede, ISDN e placas de modem, além de discos rígidos externos. A forma como o suporte para tal hardware é implementado no Linux, os pontos a serem levados em consideração durante a configuração, qual software está disponível para o controle do PCMCIA e como solucionar quaisquer possíveis problemas são descritos no Capítulo 31, PCMCIA.

30.1.1. Conservação de energia

A inclusão de componentes de sistema com otimização de energia durante a fabricação de laptops contribui para a sua adequação ao uso sem acesso à rede elétrica. A contribuição desses componentes para a preservação de energia é, ao menos, tão importante quanto a do sistema operacional. O SUSE Linux dá suporte a diversos métodos que influenciam o consumo de energia de um laptop e surtem efeitos variáveis sobre o tempo de operação com a carga da bateria. A lista a seguir está em ordem decrescente de contribuição para a conservação de energia:

  • Regulagem da velocidade da CPU

  • Desativação da iluminação da tela durante pausas

  • Ajuste manual da iluminação da tela

  • Desconexão de acessórios não utilizados e habilitados para hotplug (CD-ROM USB, mouse externo, placas PCMCIA não utilizadas etc.)

  • Colocar o disco rígido em modo de espera quando inativo

Informações de apoio detalhadas sobre o gerenciamento de energia no SUSE Linux e sobre a operação do módulo de gerenciamento de energia YaST podem ser encontradas no Capítulo 33, Gerenciamento de energia.

30.1.2. Integração em ambientes operacionais variáveis

Seu sistema precisa se adaptar a ambientes operacionais variáveis quando for usado para a computação móvel. Vários serviços dependem do ambiente e os clientes subjacentes precisam ser reconfigurados. O SUSE Linux faz isso para você.

Figura 30.1. Integrando um laptop em uma rede

Integrando um laptop em uma rede

Os serviços afetados no caso de um laptop que transita entre uma pequena rede doméstica e uma rede de escritório são:

Rede

Inclui a atribuição de endereço IP, a resolução do nome, a conectividade à Internet e a conectividade a outras redes.

Impressão

Precisam estar presentes um banco de dados atual de impressoras disponíveis e um servidor de impressão disponível, dependendo da rede.

E-Mail e proxies

Assim como ocorre com a impressão, a lista dos servidores correspondentes precisa ser atual.

X

Se o seu laptop estiver temporariamente conectado a um projetor ou monitor externo, as diferentes configurações de exibição precisam estar disponíveis.

O SUSE Linux oferece várias opções de integração de um laptop a ambientes operacionais existentes:

SCPM

O SCPM (system configuration profile management - gerenciamento de perfil de configuração do sistema) permite o armazenamento de estados de configuração arbitrários de um sistema em um tipo de “instantâneo” chamado de perfil. Os perfis podem ser criados para diferentes situações. Eles são úteis quando um sistema é operado em ambientes variáveis (rede doméstica, rede de escritório). Sempre é possível alternar entre perfis. Encontre informações sobre o SCPM no Capítulo 32, System Configuration Profile Management. Você pode usar o applet Seletor de Perfil do kicker no KDE para alternar entre perfis. O aplicativo requer a senha do root antes de alternar.

NetworkManager

O NetworkManager é desenvolvido especialmente para rede móvel em laptops. Ele fornece uma maneira para alternar de forma fácil e automática entre ambientes de rede ou tipos diferentes de redes, como LAN sem fio e ethernet. O NetworkManager suporta a criptografia WEP e WPA-PSK em conexões LANs sem fio, por discagem (com smpppd). Ambos os ambientes de área de trabalho (GNOME e KDE) incluem um front-end para o NetworkManager.

Tabela 30.1. Casos de uso para o NetworkManager

Meu computador…

Usar NetworkManager

é um laptop

Sim

algumas vezes está conectado a redes diferentes

Sim

fornece serviços de rede (como DNS ou DHCP)

Não

usa somente um endereço IP estático

Não

Use as ferramentas do YaST para configurar a rede sempre que o NetworkManager não deve gerenciar a configuração de rede.

SLP

O SLP (Service Location Protocol) simplifica a conexão de um laptop a uma rede existente. Sem o SLP, o administrador do laptop normalmente necessita ter conhecimentos detalhados sobre os serviços disponíveis em uma rede. O SLP transmite a disponibilidade de um determinado tipo de serviço a todos os clientes de uma rede local. Os aplicativos que dão suporte ao SLP podem processar as informações despachadas pelo SLP e podem ser configurados automaticamente. O SLP pode até ser usado para a instalação de um sistema, poupando o esforço de busca de uma fonte de instalação adequada. Encontre informações detalhadas sobre o SLP no Capítulo 19, Serviços SLP na rede.

O ponto forte do SCPM é a habilitação e a manutenção de condições de sistema reproduzíveis. O SLP torna a configuração de um computador em rede bem mais fácil, automatizando boa parte desse processo.

30.1.3. Opções de software

Diversas áreas de tarefas especiais no uso móvel são abrangidas por software dedicado: monitoramento do sistema (principalmente a carga da bateria), sincronização de dados e comunicação sem fio com periféricos e a Internet. As seções a seguir tratam dos aplicativos mais importantes oferecidos pelo SUSE Linux para cada tarefa.

30.1.3.1. Monitoramento do sistema

Duas ferramentas de monitoramento do sistema KDE são oferecidas pelo SUSE Linux:

KPowersave

O KPowersave é um applet que exibe o estado da bateria recarregável no painel de controle. O ícone se ajusta de modo a representar o tipo de fonte de energia. Ao trabalhar em corrente alternada, um pequeno ícone de plug é exibido. Ao trabalhar com bateria, o ícone se transforma em uma bateria. O menu correspondente abre o módulo YaST de gerenciamento de energia após solicitar a senha do root. Desse modo, é possível configurar o comportamento do sistema com diferentes tipos de fontes de energia. Encontre informações sobre gerenciamento de energia e sobre o módulo YaST correspondente no Capítulo 33, Gerenciamento de energia.

KSysguard

O KSysguard é um aplicativo independente que reúne todos os parâmetros mensuráveis do sistema em um único ambiente de monitoramento. O KSysguard possui monitores de ACPI (status da bateria), carga da CPU, rede, particionamento e uso da memória. Ele também pode observar e exibir todos os processos do sistema. A apresentação e filtragem dos dados coletados podem ser personalizadas. É possível monitorar diferentes parâmetros do sistema em diversas páginas de dados ou coletar os dados de diversas máquinas em paralelo na rede. O KSysguard também pode ser executado como um daemon em máquinas desprovidas de um ambiente KDE. Encontre mais informações sobre esse programa na sua função de ajuda integrada ou nas páginas de ajuda do SUSE.

Figura 30.2. Monitorando o status da bateria com o KSysguard

Monitorando o status da bateria com o KSysguard

Na área de trabalho do GNOME, use o applet do painel ACPI do GNOME e o aplicativo Monitor do Sistema.

30.1.3.2. Sincronizando dados

Ao alternar entre o trabalho em uma máquina móvel desconectada da rede e o trabalho em uma estação em rede em um escritório, é necessário manter a sincronização dos dados processados em todas as instâncias. Isso pode incluir pastas de e-mail, diretórios e arquivos individuais que precisam estar presentes tanto para o trabalho remoto como para o trabalho no escritório. A solução nos dois casos é a seguinte:

Sincronizando e-mail

Use uma conta IMAP para armazenar seus e-mails na rede do escritório. Em seguida, acesse os e-mails da estação de trabalho com o uso de qualquer cliente de e-mail desconectado habilitado para IMAP, como o Mozilla Thunderbird Mail, o Evolution ou o KMail, conforme descrito em Aplicativos. O cliente de e-mail precisa ser configurado de tal modo que as Mensagens enviadas sejam sempre acessadas da mesma pasta. Isso assegura a disponibilidade de todas as mensagens com informações sobre seu status após a conclusão do processo de sincronização. Use um servidor SMTP implementado no cliente de e-mail para o envio de mensagens, em vez do postfix ou do sendmail do MTA em todo o sistema, para receber retorno confiável sobre e-mails não enviados.

Sincronizando arquivos e diretórios

Existem diversos utilitários adequados para a sincronização de dados entre um laptop e uma estação de trabalho. Para obter informações detalhadas, consulte o Capítulo 27, Sincronização de arquivos.

30.1.3.3. Comunicação sem fio

Além da conexão a redes domésticas ou de escritórios com um cabo, também é possível fazer uma conexão sem fio de um laptop a outros computadores, periféricos, telefones celulares ou PDAs. O Linux dá suporte a três tipos de comunicação sem fio:

WLAN

Com o maior alcance dessas tecnologias sem fio, o WLAN é a única adequada para a operação de redes de grande porte e, às vezes, até mesmo de redes desconectadas virtualmente. Máquinas individuais podem se conectar entre si para formar uma rede sem fio independente ou para acessar a Internet. Dispositivos chamados de pontos de acesso atuam como estações de base para dispositivos habilitados para WLAN, além de servir como intermediários para o acesso à Internet. Um usuário móvel pode alternar entre pontos de acesso dependendo do local e de que ponto de acesso ofereça a melhor conexão. Assim como na telefonia celular, uma rede de grande porte está disponível aos usuários da WLAN sem restringi-los a um local específico para o acesso. Encontre informações sobre a WLAN na Seção 34.1, “LAN sem fio”.

Bluetooth

O Bluetooth possui o mais amplo espectro de aplicação de todas as tecnologias sem fio. Ele pode ser usado na comunicação entre computadores (laptops) e PDAs ou telefones celulares, assim como o IrDA. Também pode ser utilizado para conectar diversos computadores dentro de uma faixa visível. O Bluetooth também é usado para conectar componentes sem fio do sistema, como um teclado ou mouse. Entretanto, o alcance dessa tecnologia não é suficiente para conectar sistemas remotos a uma rede. A WLAN é a melhor opção de tecnologia para comunicações em locais com obstáculos físicos, como paredes. Encontre mais informações sobre Bluetooth, seus aplicativos e configuração na Seção 34.2, “Bluetooth”.

IrDA

O IrDA é a tecnologia sem fio de menor alcance. As duas extremidades da comunicação precisam estar a uma distância visível uma da outra. Não é possível contornar obstáculos como paredes. Uma aplicação possível do IrDA é a transmissão de arquivos de um laptop para um telefone celular. O curto caminho do laptop para o telefone celular é coberto com o uso do IrDA. O transporte de longo alcance do arquivo ao seu destinatário é feito pela rede móvel. Outra aplicação do IrDA é a transmissão sem fio de serviços de impressão no escritório. Há mais informações a respeito do IrDA na Seção 34.3, “Transmissão de dados infravermelhos”.

30.1.4. Segurança de dados

Em termos ideais, os dados contidos no seu laptop são protegidos de diversas maneiras contra o acesso não autorizado. Possíveis medidas de segurança podem ser tomadas nas seguintes áreas:

Proteção contra roubo

Sempre que possível proteja a integridade física do seu sistema contra roubo. Diversas ferramentas de segurança, como correntes, podem ser adquiridas em lojas varejistas.

Protegendo dados no sistema

Dados importantes devem ser criptografados não apenas durante a transmissão, mas também no disco rígido. Essa medida assegura sua segurança em caso de roubo. A criação de uma partição criptografada com o SUSE Linux é descrita na Seção 4.3, “Criptografando partições e arquivos”.

[Important]Segurança de dados e o evento Suspender para Disco

As partições criptografadas não são desmontadas durante um evento de suspender para disco. Assim, todos os dados contidos nessas partições ficarão disponíveis para qualquer pessoa que conseguir roubar o hardware e inicializar o disco rígido.

Segurança de rede

Qualquer transferência de dados deve ser protegida, independentemente de como seja feita. Encontre problemas de segurança geral referentes ao Linux e redes na Seção 4.5, “Segurança e confidencialidade”. Medidas de segurança referentes a redes sem fio são fornecidas no Capítulo 34, Comunicação sem fio.